Acessibilidade: Como projetar banheiros seguros para idosos?


4 min de leitura
02 Nov
02Nov

São frequentes os relatos de acidentes em banheiros, por geralmente serem locais apertados e, muitas vezes, escorregadios. Ainda que ninguém esteja imune a um escorregão após o banho, são os idosos que sofrem mais com as quedas, ocasionando ferimentos graves, sequelas e limitações funcionais. Com a redução natural dos reflexos e da massa muscular, quanto mais alta a faixa etária mais propensos a quedas nos tornamos.

Para proporcionar condições de vida mais confortáveis com o passar dos anos, o ambiente deve se adaptar às novas capacidades físicas de seus ocupantes. Tornar os banheiros mais seguros é fundamental para diminuir os riscos de acidentes ou reduzir o tempo de resposta no caso de uma queda. Apresentamos abaixo alguns pontos para se levar em conta ao desenhar banheiros para pessoas com idades avançadas:

Banheiros acessíveis que respeitam as normas de desenho universal geralmente servem bem às demandas dos idosos, que se encaixam no grupo de pessoas com mobilidade reduzida. Mesmo que o idoso continue com a capacidade de caminhar, é importante considerar o auxílio de uma cadeira de rodas e a possibilidade de um cuidador ao dimensionar os espaços. Um banheiro bem desenhado e espaçoso para um cadeirante também facilita a circulação do idoso, evitando quedas e ferimentos ao esbarrar em alguma coisa. 

O acesso até o banheiro

A primeira preocupação deve ser a forma como o banheiro é acessado. Um caminho livre, sem barreiras e objetos soltos, como tapetes e calçados é essencial para evitar tropeços ou atrapalhar o trânsito de uma cadeira de rodas. Durante a noite, locar pontos de luz no caminho até o banheiro, com interruptores bem localizados, também é vital para segurança.

Portas que facilitem a abertura 

A porta do banheiro deve ter uma abertura fácil e intuitiva e ter ao menos 80 centímetros de largura. Maçanetas de alavancas são mais simples do que as que demandam um movimento de torção do punho. Remover as trancas pode facilitar o acesso se necessário para uma emergência. Também é conveniente que a porta deslize ou abra para fora, pelas mesmas razões.

Piso

Com a água, sabonete e outros produtos de higiene pessoal, é comum que os pisos acabem ficando altamente escorregadios. Por isso, é importante que o piso seja de um material antiderrapante. Praticamente todos os pisos de mercado possuem opções antiderrapantes, como cerâmicas, placas cimentícias, epóxi e pisos emborrachados que podem funcionar bem para os banheiros. Alguns especialistas sugerem que o banheiro tenha cores contrastantes, sejam as paredes ou o piso em relação às louças sanitárias, para evitar confusão para idosos com visão reduzida.

Os tapetes, se não forem adequados, também podem ser grandes causadores de acidentes. O ideal é que eles sejam emborrachados na parte que encostam no piso, de forma que tenham atrito suficiente com a superfície e nunca escorreguem.

Vasos sanitários

Por conta da redução do tônus muscular nos idosos, um vaso sanitário mais alto facilita o movimento de sentar e, especialmente, levantar. Recomenda-se que as bacias sanitárias sejam um pouco mais altas que a altura convencional (que pode ser feito através de um "calço" no vaso sanitário existente. Sendo assim, elas estarão com cerca de 46 cm de altura. Evidentemente, elas devem estar muito bem presas ao piso ou à parede.

Barras de apoio

Barras de apoio auxiliam nas horas mais críticas, como ao sentar-se no vaso sanitário ou na entrada do box para o banho. Utilizar acessórios que não são próprios para receber tanta carga, como a barra de toalha, por exemplo, pode ser extremamente perigoso. As barras geralmente devem ser de alumínio ou aço inoxidável e devem estar muito bem presas à parede. Geralmente são instaladas próximo da bacia sanitária e também do chuveiro, entre 1,10 e 1,30 metros de altura. Se o banheiro for muito amplo, é interessante instalar barras de segurança nas paredes vazias que levam a esses dois pontos estratégicos do banheiro. 

 

Torneira

Tal qual as portas, é melhor facilitar o uso através de torneiras de alavanca ou com sensores elétricos, que são mais fáceis de manipular do que as peças esféricas. 

Box

O box deve ter, no mínimo, 80 centímetros de largura e banheiras devem ser evitadas, pela dificuldade de entrada e saída. É desejável prever a possibilidade de espaço para uma segunda pessoa, um cuidador, para auxílio na higiene do idoso, quando necessário. Além da ducha principal, também é interessante prever um chuveirinho para facilitar o banho. Outro elemento importante é um banquinho de apoio, que pode ser dobrável, e deve estar a cerca de 46 cm de altura do chão. 

Sistema de Alerta no Banheiro para Idoso

Ainda que todas as precauções sejam tomadas, é sempre importante prever os piores cenários possíveis, como o de um acidente. Campainhas, alarmes e botões de emergência são importantes para o caso de o idoso precisar sinalizar algum problema. Geralmente eles são conectados a empresas do setor de telecare (cuidado à distância), que avaliarão rapidamente quais precauções tomar. É importante pensar nesse dispositivo em um local bem acessível, próximo ao chão, para que possa ser usado mesmo quando não há possibilidade de se levantar. Outra solução disponível é a instalação de sensores nos cômodos e no próprio ocupante, utilizando a automação, como já foi tratado neste artigo.

É importante mencionar que cada país tem normas relativas às dimensões e os elementos de segurança para banheiros acessíveis, seja para cadeirantes como para pessoas com mobilidade reduzida. O intuito deste artigo é mostrar dicas e pontos a se considerar ao projetar banheiros seguros e confortáveis, que reduzirão as possibilidades de eventos desagradáveis. 


FONTE: Office Connection

 Contribua com a Office Connection e encaminhe seus projetos e artigos com fotos para nossa redação

Comentários
* O e-mail não será publicado no site.