Abstract: The Art of Design | Christoph Niemann: Illustration


1 min de leitura

De capas de revista a esboços no Instagram, o ilustrador Christoph Niemann brinca com o abstrato e a interatividade e questiona a autenticidade.

“A abstração deve ser o conceito mais importante de arte. Começo com milhares de pensamentos diferentes e, um a um, descarto quase todos. No fim, fico com dois ou três, essenciais à questão. A abstração, para mim, é se livrar de tudo que não é essencial.”

Niemann nasceu e foi criado em Waiblingen, na Alemanha, e no ano de 1997 mudou-se para Nova York. Depois de alguns anos de sucesso criando em Nova York, Niemann e sua mulher decidiram mudar-se para Berlin. As ilustrações de Christoph Niemann já apareceram nas capas do The New York Times Magazine, Wired, Time, American Illustration e The New Yorker. O episódio mostra o dia a dia, o trabalho e o processo criativo do ilustrador, além do desenvolvimento de uma nova capa para a revista New Yorker.

A introdução feita para a série Abstract: The Art of Design é assinada pelo Christoph e fez o desenho na janela de um carro enquanto dirigia com a equipe de filmagem dos escritórios de Nova York para o edifício Flatiron. No episódio, Niemann diz que “cada ideia exige uma quantidade específica de informação. Às vezes, muitos detalhes e muito realismo. Às vezes, apenas uma linha, um pixel. Mas cada ideia tem um ponto nessa escala”. Christoph Niemann explica melhor esse conceito através do “Abstract-O-Meter” (que pode ser traduzido para algo como Abstrônomo), utilizando um coração com flecha como exemplo de “símbolo do amor”.

Um quadrado vermelho seria a abstração máxima de um coração, onde ninguém entenderia a mensagem e, consequentemente, não funcionaria. Já um coração realista, com veias, artérias e sangue acaba sendo nojento demais para alguém relacionar com amor. Entre esses dois extremos, existe uma forma gráfica que se parece com ambos, e é ideal para demonstrar a ideia de “símbolo do amor”.

Niemann já desenvolveu cerca de 22 capas para a revista The New Yorker. O mais legal é que, além do nome da revista, não há manchetes e chamadas nas capas, somente a ilustração.

Sunday Sketches é o projeto pessoal de Niemann, onde ele publica no seu Instagram imagens que misturam ilustração com objetos aleatórios. O ilustrador ainda cita a seguinte frase: “Inspiração é para amadores. Nós, profissionais, vamos trabalhar.” Ele diz que gosta da frase porque “alivia muito a pressão”. A ideia aqui não é sentar na cadeira e esperar a inspiração, mas sim trabalhar, começar. Pode surgir algo incrível, ou não. Mas o mais importante é “criar a chance de algo acontecer”.

Fonte: Netflix