Abstract: The Art of Design | Paula Scher: Graphic Design


1 min de leitura

A designer gráfico Paula Scher pinta com as palavras, desenvolvendo a identidade visual de marcas e instituições icônicas pelo mundo afora.

“Sou movida pela esperança de que ainda não fiz meu melhor trabalho. Criar coisas é o melhor de tudo. Essa vontade nunca desaparece.”


Logo no início, podemos apreciar a rotina de Paula no estúdio Pentagram, escritório onde a designer é sócia de outros diversos profissionais, e que possui um modelo de gestão diferenciado. Como a própria designer diz, o estúdio Pentagram “é uma cooperativa de design, com o benefício de uma empresa grande, mas todos podem agir como indivíduos. Não tem chefes, só amigos.” Em 1994, Paula Scher passou a desenvolver os materiais do Public Theater, situado em Nova York, e o primeiro projeto foi criar uma identidade visual para o teatro. A designer conta que a ideia central para o logo foi retirado de um de seus livros favoritos sobre a fonte American Wood, em uma página específica que mostra detalhes da letra “R” em diferentes pesos. À partir da referência, Paula percebeu que poderia escrever “Public” com essa variação de espessura, incluindo todos os pesos e simbolizando toda a cidade de Nova York. Segundo Paula, a tipografia pode criar muito poder, pois “trabalhamos com coisas que criam personalidade, como peso e altura”.

Sua paixão por tipografia vem desde a adolescência, quando começou a estudar ilustração na Tyler School of Arts. Influenciada pela cultura contemporânea presente em gibis, revistas, jornais alternativos e principalmente capas de discos, Paula chegou a conclusão de que era isso que queria fazer. Nos anos 70, a designer conseguiu um emprego para criar capas na CBS Records. E como ela mesmo diz, “eu era uma criança, com o melhor emprego de Nova York”.

Para Paula, uma nova ideia pode vir em qualquer lugar, de qualquer jeito, até mesmo presa no trânsito em um taxi. Inclusive, ela diz ser esse o momento do seu dia em que surgem as melhores ideias. Ela também tem um plano geral sobre como aborda o trabalho. Uma parte é estratégica, outra parte é intuitiva. A parte estratégica é absorver informação do cliente. Estratégia é fundamental no design, e muitas vezes precisamos melhorar a ideia inicial de um cliente, além de trabalhar para que o cliente, os clientes ou toda uma corporação enxergue qual é o melhor caminho. Esse é nosso grande desafio.

Fonte: Netflix