Abstract: The Art of Design | Ralph Gilles: Automotive Design


1 min de leitura

Como líder global do setor de design da Fiat Chrysler, Ralph Gilles leva a marca ao futuro com carros esporte elegantes e uma van elétrica autônoma.

“O design precisa ser muito poderoso para destruir todos os paradigmas e representar algo.” 

Gilles inicia o episódio falando que gosta de começar seus projetos rascunhando a frente do carro. Para o designer, os olhos são muito importantes, pois um veículo pode ter um rosto feliz ou fechado e precisa transmitir uma alma. Ralph conseguiu o emprego de designer em 1992, e em poucos anos ele se tornou chefe de design na Chrysler. Neal Boudette, jornalista automotivo do New York Times, cita que não conheceu ninguém tão novo que se tornou chefe global de design. Ralph, que costuma buscar inspiração no passado, acredita que toda marca já fez um produto ruim, mas também que o design aliado a engenharia podem criar um produto que revitalize uma marca.

O episódio acompanha o desenvolvimento de um carro-conceito, o SM-1, um veículo familiar, totalmente elétrico e autônomo. Um projeto de 7 meses, do início até a apresentação para Sergio Marchionne, CEO da FCA (Fiat Chrysler Automobiles). O trabalho de Ralph não se baseia só em desenhar os carros, ele também tem que coordenar toda uma equipe envolvida nos projetos. E um grande desafio em projetar os carros, é que eles serão utilizados cinco anos após serem desenvolvidos, e depois tem que sobreviver no mercado de três a seis anos, ou seja, é uma janela de nove anos que precisa ser considerada ao projetar um veículo. Ralph também cita que os interiores dos carros “são o novo campo de batalha do design automotivo”. Cada centímetro quadrado é projetado para controlar a mensagem, garantir universalidade, torná-lo bonito e prático.

Os profissionais envolvidos nos projetos pensam em uma nova forma, não só de transportar a família, mas de viver no carro. Um terceiro espaço. É pegar o que o consumidor ama em casa e aplicar no transporte. “Os melhores designs emocionam para sempre.”

Fonte: Netflix