Escritório Mercado Livre / Estudio Elia Irastorza + BMA arquitectos + Methanoia


2 min de leitura

Conceito
O projeto reinterpreta o conceito de "escada social" através de um sistema de conectores (links) que interligam os diferentes pavimentos de maneira democrática e dinâmica. A escada tradicional e sua ordem hierárquica foi substituída por uma série de passagens que permitem explorar o edifício através de percursos imprevisíveis, criando um ambiente dinâmico e exclusivo. 

Desafio do projeto
O Mercado Livre, maior empresa de comércio eletrônico da América Latina, ocupa nove pavimentos do edifício. Anteriormente o local abrigava a fábrica original da Philips, na década de 1950, com um total de 21.570 m² distribuídos em pavimentos de até 4.500 m² e pé direitos com mais de 4m de altura. O desafio foi projetar espaços flexíveis que pudessem reproduzir o caráter inovador, jovem e diferenciado do Mercado Livre. O briefing enfatizou a criação de uma "escada social", um espaço comunitário que incentiva o intercâmbio constante. Esta foi proposta como uma área dinâmica, multifuncional e adaptável às diferentes situações; um lugar que nutre o trabalho coletivo e individual. 


A partir da reinterpretação do conceito de "escada social", a organização propõe uma alternativa à forma tradicional de comunicação entre os pavimentos de um edifício, buscando "democratizar o espaço", promover o encontro e a troca de ideias. Em vez de posicionar uma escada em um único local, de forma a conectar os pavimentos de maneira linear e direta, o projeto estimula a conexão de maneira não sequencial. O sistema permite percorrer o escritório, em seus nove pavimentos, através de diferentes percursos.

Soluções para o projeto
No sexto pavimento, com pé direito duplo, as arquibancadas fazem da área um grande anfiteatro e o principal ponto de encontro da empresa. Este é o coração do escritório, onde estão distribuídos os principais espaços comunitários e de recepção. Nos pavimentos tipo, os conectores também funcionam como espaços polivalentes - como áreas de lazer, salas de leitura, de reunião e de treinamento, organizando os espaços conforme a necessidade. Um conjunto diversificado de intervenções artísticas é integrado à arquitetura através do uso de várias técnicas e texturas, buscando instigar a consciência por meio dos sentidos. A vegetação está presente em instalações de vários formatos, como paredes verdes e floreiras, criadas para oferecer privacidade aos pontos de encontro. Um terraço verde serve como expansão do refeitório e oferece diversos espaços para atividades recreativas e de descanso. 

O projeto de interiores apresenta uma paleta simples composta principalmente de vidro e madeira, que combinados com os espaços verdes e as instalações de arte, criam um ambiente de trabalho acolhedor. Por sua vez, as áreas de trabalho são livres, de forma a permitir conexões visuais entre os usuários. No piso, uma composição de lâminas de madeira natural, piso vinílico e tapetes modulares, com design exclusivo, ajudam a configurar uma identidade íntima e confortável ao local. Em cada ambiente, móveis das principais marcas internacionais foram combinados as criações de designers locais. O escritório foi certificado como LEED Platinum e também incorporou os principais conceitos da certificação Wellness. Longe das diretrizes dos escritórios tradicionais, todos os dias, os funcionários podem escolher onde trabalhar, de acordo com suas necessidades, diferentes tipologias de trabalho e níveis de privacidade e mobilidade. Um novo espaço nasce, pensado desde o início como um destino, um lugar onde os usuários querem chegar, fazer parte e permanecer. 


Fonte: ArchDaily

Contribua com a Office Connection e encaminhe seus projetos e artigos com fotos para nossa redação - gustavo@ralestrategia.com.br