Pier flutuante por Nordic Office of Architecture


4 min de leitura

O Pier Flutuante está localizado às margens do Lago do Elefante em uma área pantanosa da cidade de Nanchang, província de Jiangxi, no leste da China. 

O lago encontra-se dentro da área inundável protegida, uma situação pra lá de peculiar mas que proporcionou aos arquitetos um contexto único no qual desenvolveram o projeto, a partir da forma de um edifício semi-enterrado que culmina em uma torre de observação junto ao lago. 

A principal preocupação dos arquitetos não era apenas promover uma “vista panorâmica” do parque como um todo, mas criar uma simbiose entre arquitetura e natureza, dando forma a uma nova forma de experiência espacial onde praticamente não há limite entre a paisagem natural e construída. 

Para o desenvolvimento do projeto, os arquitetos buscaram inspiração nos três elementos naturais, água, terra e ar, os quais correspondentes aos três programas funcionais do edifício: uma praça pública, o edifício comercial e uma escultórica torre mirante. 

A praça pública, que se identifica com o elemento água, encontra-se intimamente arraigada à área pantanosa do parque de Nanchang, construindo novas relações entre o espaço público e o pântano, convidando os visitantes a descobrirem a paisagem inundável do parque. 

Por isso, a praça foi batizada de “xiang”, que em chinês significa “vista” – uma praça que nasce da sua relação com a água. 

Cada elemento dentro do projeto paisagístico reflete as necessidades funcionais do programa do parque, adaptando-se às necessidades de seus visitantes de forma a promover a acessibilidade e as oportunidades de encontro e socialização dentro do conjunto, criando finalmente, uma experiência espacial única e envolvente. 

O edifício comercial por sua vez – que representa o elemento terra – opera como um espelho da praça pública sob a qual ele se extende longitudinalmente de frente para o lago, adicionando um novo vetor vertical à bidimensionalidade da praça elevada acima deste. 

A experiência da praça de acesso, criada a partir da sua relação única com a água, se extende de forma fluida para o pavimento inferior, qual se conecta com um anfiteatro ao ar livre aonde podem ser realizados eventos culturais e performáticos à céu aberto. De forma similar, os usuários que passeiam pelo lado de fora são convidados à acessar os espaços cobertos no térreo, aonde encontram-se espalhados uma série de espaços comerciais, que a todo momento parecem brotar para o lado de fora, criando conexões inesperadas entre o programa do edifício e as atividades ao ar livre que acontecem na praça acima, permitindo assim infinitas formas de apropriação de seus espaços. 

Ao final deste longo percurso linear, definido tanto pelo edifício quanto pela praça pública acima deste, e de frente para o grande Lago do Elefante, encontra-se o objeto de maior destaque deste projeto: a impressionante torre de observação – a qual representa o elemento ar e também a força de comunidade local engajada em busca de um futuro vibrante para a sua cidade. 

Nanchang não é uma cidade de uma única “torre,” além da estrutura do Pier Flutuante, outra impressionante estrutura construída na cidade é o famoso Pavilhão do Príncipe Teng Wang, um dos três edifícios mais conhecidos de toda a região de Jiangnan, e o Shenjin, uma das estrutura históricas e mais antigas de toda a China. Outro importante marco construído de Nanchang, o Wanshou, pode ser visto do topo da torre de observação do Pier Flutuante. 

Desta forma, o projeto da torre de observação procura construir novas relações espaciais com o seu entorno, não apenas com a paisagem natural, mas também com o patrimônio construído de Nanchang – transformando-se em um importante marco urbano da modernidade no leste da China. 

O corpo da torre incorpora uma estrutura dupla de escadas, as quais proporcionam uma experiência única e inovadora aos visitantes do parque: subir não é a mesma coisa que descer, não é uma atividade mecânica e meramente prática, mas uma forma de descobrir e explorar a paisagem do Parque do Lago do Elefante. Como um percurso dinâmico e até divertido, o caminho até a cobertura é capaz de proporcionar as mais diversas emoções, e o clímax desta jornada tem lugar justamente na cobertura, junto ao deque de observação, onde as pessoas podem ter um panorama completo não apenas do parque do lago, mas de todo o skyline da cidade de Nanchang.

FONTE: Nordic Office of Architecture

Contribua com a Office Connection e encaminhe seus projetos e artigos com fotos para nossa redação - gustavo@ralestrategia.com.br