Herman Miller e Knoll anunciam fusão bilionária focada no home office


2 min de leitura
21 Apr
21Apr

Duas das maiores marcas de mobiliário de design anunciaram sua fusão: a Herman Miller assumiu a Knoll por US$ 1,8 bilhões, quase  R$ 10 bilhões. A aquisição, que deve ser concluída até o último trimestre deste ano, ocorre a tempo de beneficiar-se das mudanças no ambiente de trabalho, com foco em móveis para escritório.  

A união dos dois portfólios coloca a empresa como líder no mercado de cadeiras assinadas, com peças icônicas como a Eames Lounge Chair and Ottoman, desenhadas por Charles e Ray Eames, 

e a cadeira Barcelona, de Mies Van Der Rohe, duas das peças de design mais famosas do século.

"Este acordo une dois ícones pioneiros do design com negócios fortes, portfólios atraentes e longa história de inovação. À medida que as empresas estão repensando seus escritórios físicos, o home office também se fortalece e as pessoas estão fazendo investimentos significativos nisso. Com um amplo portfólio, estaremos preparados para atender nossos clientes onde quer que eles vivam e trabalhem", afirma Andi Owen, presidente e CEO da Herman Miller.   

A Herman Miller e a Knoll juntas possuem 19 marcas líderes, uma presença em mais de 100 países em todo o mundo, 64 showrooms e mais de 50 locais de varejo. A empresa combinada terá receita anual pro forma de cerca de US$ 3,6 bilhões e US$ 100 milhões de sinergias de custos.

O ímpeto para a fusão vem do desejo de navegar pelas mudanças induzidas pelo COVID na forma como as pessoas trabalham e vivem. Para a Herman Miller, é uma mudança significativa no cenário de home office, com um crescimento na categoria de mais de 270% para a empresa.